quarta-feira, 26 de novembro de 2014

OS TRADUTORES DA BÍBLIA SAGRADA

QUEM SÃO OS TRADUTORES DA BÍBLIA SAGRADA?
ELES MERECEM A NOSSA CREDIBILIDADE?

A Bíblia é a palavra de Deus. Trata-se de um livro escrito por homens inspirados por Deus, ou seja, Deus preparou homens especiais para transmitir-nos a sua mensagem santa e verdadeira. A Bíblia é um livro cujo escrito dispensa quaisquer comentários. Ela é inquestionável. Seus ensinamentos são verdadeiros. Nela, não há contradições. Mesmo não sendo homens sem pecados, seus escritores merecem todo o nosso respeito e a nossa admiração. Não são dignos de nossa adoração, pois dela somente o Senhor é digno. Mas a pergunta que fazemos é: QUEM SÃO OS TRADUTORES DA BÍBLIA SAGRADA?
Não podemos dizer que ESCRITORES e TRADUTORES são sinônimos, ou que eles são as mesmas pessoas. A partir do momento em que sabemos que a Bíblia foi escrita e traduzida para vários idiomas, vem-nos a ideia de que algo poderia ter acontecido neste período de transição idiomática ou linguística, como queiram,  para deixar-nos meio preocupados com o que encontramos escrito na própria Bíblia.
Antes tudo, precisamos saber que Jesus Cristo falou em aramaico, sua língua natural, e não em grego, latim ou hebraico, embora todas as traduções levam em consideração o hebraico ou o grego. As razões não são explícitas pelos estudiosos. Estes preferem considerar a tradução feita por Martinho Lutero para o alemão. Mas de onde e para onde  Lutero traduziu a Bíblia Sagrada, ou como o fez pouco importa neste momento. Bem, vamos adiante:

01 - A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO

Recorrendo ao Novo Testamento, vamos lá para a história da ressurreição de Jesus Cristo. O tradutor de Mateus, capítulo 28 diz que houve um grande terremoto quando UM anjo desceu do céu e removeu a pedra, assentando-se sobre esta. Os guardas tremeram e ficaram COMO se estivessem mortos. O anjo dirige-se às mulheres (Maria Madalena e a outra Maria) e diz: “Não temais; porque sei que buscai Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui; ressuscitou, como havia dito.” Em seguida, o anjo chamou as duas para ver o lugar onde Jesus estava. Quando elas saíram para anunciar o acontecimento, Jesus se encontrou com elas no caminho.
O tradutor do livro de Marcos diz no capítulo 16  que Maria Madalena, Maria mãe de Tiago, e Salomé (já são três as mulheres), chegaram, viram a pedra removida, entraram no túmulo e viram um jovem assentado ao lado direito, vestido de branco. Seguindo a leitura, vemos que Jesus Cristo aparece primeiro a Maria Madalena. Em Mateus, Jesus aparece no meio do caminho a Maria Madalena e a outra Maria. Em Marcos, ele aparece somente a Maria Madalena.
O tradutor de Lucas diz no capítulo 24 que as mulheres que tinham vindo da Galiléia com Jesus Cristo e que viram onde ele havia sido sepultado, entraram no túmulo e não acharam o corpo de Jesus. Em seguida, DOIS varões com vestes resplandecentes apareceram a elas. Em Mateus era apenas UM anjo. Em Marcos, este anjo estava assentado ao lado direito. Em Lucas, não eram apenas duas mulheres. Agora eram Maria Madalena, Joana, Maria mãe de Tiago e as demais mulheres que estavam com elas.
Agora vejamos o que nos diz o tradutor de João, capítulo 20. Em sua narrativa ele diz que Maria Madalena (sozinha) foi ao sepulcro, viu que a pedra estava removida (sem entrar) correu para avisar a Simão Pedro e um outro discípulo citado apenas como aquele a quem Jesus amava. Em seguida, Pedro e o outro discípulo foram ao sepulcro. O outro discípulo chegou primeiro e viu os lençóis de linho, mas não entrou. Pedro chegou em seguida e entrou. Eles voltaram para casa. Nessa narrativa não tinha nenhum anjo. Enquanto isso, Maria permanecia junto à entrada do túmulo. Ela olhou para dentro do túmulo e viu DOIS anjos sentados onde o corpo de Jesus fora posto. Um estava à cabeceira e o outro aos pés. (nesta narrativa, Maria não entra no túmulo).
CONCLUSÃO: Em três narrativas, os TRADUTORES contaram histórias completamente diferentes. Por quê? São fatos que não se justificam, quando a palavra de Deus diz que não se deve tirar nem acrescentar uma palavra neste Livro Sagrado.

02 - A CURA DO CRIADO DE UM CENTURIÃO

O tradutor do livro de Mateus, capítulo 8 diz que o centurião foi até Jesus Cristo pedir para que este curasse o seu criado que estava em casa, de cama, paralítico e sofrendo horrivelmente. O mesmo tradutor diz que Jesus ia até a casa do centurião, mas este disse não ser digno de que Ele entrasse em sua casa. Um detalhe importante a ser verificado é que, em Mateus 8, o centurião esteve frente a frente com Jesus.
Em Lucas 7, o tradutor conta a mesma história no capítulo 1º. Aqui, o centurião já não se encontra com Jesus. Ele manda alguns anciãos dos judeus pedir a Jesus que fosse curar o seu servo. O narrador diz que Jesus foi com eles e, ao chegar perto da casa, os amigos do centurião foram ao encontro de Jesus com o recado para que não entrasse na casa. De onde estava Jesus curou o jovem. Aqui, o detalhe é que o centurião nem viu Jesus.
CONCLUSÃO: A diferença nas duas traduções são quilométricas, deixando-nos numa grande e inexplicável incerteza. Não quanto a cura (este é um fato inquestionável), mas quanto ao desenrolar dos fatos.

03 - A ORAÇÃO DO PAI NOSSO

Como o tradutor narra o Pai Nosso ensinado por Jesus no livro de Mateus, capítulo 6, a partir do versículo 9. Segundo a tradução, os discípulos pedem a Jesus que os ensine a orar. Jesus diz que eles devem orar assim: “Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino, faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos a nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal [pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém].
Vejamos como foi o Pai Nosso ensinado por Jesus, segundo o tradutor de Lucas, capítulo 11 a partir do versículo 2: “Então, ele os ensinou: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; o pão nosso cotidiano dá-nos de dia em dia; perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo o que nos deve. E não nos deixe cair em tentação”.
CONCLUSÃO: Qual das duas orações pode ser considerada a oficial? Quem traduziu corretamente? Não estamos contestando a veracidade do fato, mas como realmente ele aconteceu! Que Jesus ensinou aos seus DISCÍPULOS a orar, não resta a menor dúvida. Quanto à tradução verdadeira, faz-se necessário um estudo mais profundo!
Vem-nos agora um dos assunto mais discutido entre algumas denominações: a perda da salvação. Uns dizem e asseguram que depois de salvos estaremos salvos para sempre. Outros defendem com “unhas e dentes” que podemos, sim, perder a salvação. E o que nos diz a Bíblia Sagrada? Perdemos ou não perdemos? Qual a afirmativa correta, afinal? Foi diante desta imensa confusão de ideias doutrinárias que fomos procurar a resposta na própria Bíblia Sagrada.
O tradutor de Gênesis 32: 30-35, conta um diálogo entre Moisés e Deus. Na ocasião Moisés conta a Deus que o povo dele havia cometido grande pecado ao fazer para si um bezerro de ouro para adorar. Moisés pede que Deus perdoe aquele povo e chega a colocar sua própria vida em risco ao dizer para Deus: “... se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste”. Diante da proposta de Moisés, Deus dá a seguinte resposta: “... Riscarei do meu livro todo aquele que pecar contra mim.
Fui lá para o livro de Apocalipse para ver o que o tradutor dizia a respeito do assunto. No capítulo 3, versículo5, Jesus Cristo disse em sua Carta à Igreja em Sardes, principal cidade da Lídia, entre Éfeso e Pérgamo: “O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do livro da vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos”.
No mesmo livro de Apocalipse, agora no capítulo 21, Jesus Cristo fala a João a respeito da Nova Jerusalém, onde não precisaremos nem do sol, nem da lua, para lhe darem claridade, pois a glória de Deus a iluminou, e o Cordeiro é a sua lâmpada. No versículo 27, lemos o seguinte: “Nela, nunca jamais penetrará cousa alguma contaminada, nem o que pratica abominação e mentira, mas somente os inscritos no livro da vida do Cordeiro”.
Diante destes fatos, resolvi procurar saber, dentro da própria Bíblia a que viria a ser o livro da vida. Descobri que se trata do livro onde estão escritos os nomes de todos os salvos. Passei a procurar os detalhes:
1 – “Riscarei do meu livro todo aquele que pecar contra mim”;
2 – “... De modo nenhum apagarei o seu nome do livro da vida”;
3 – “... Mas somente os inscritos no livro da vida do Cordeiro”.
CONCLUSÃO: Se Deus achar que deve apagar ele apaga, pois ele tem todo o poder para fazer o que bem quiser, independente do que achamos. Baseados nessas passagens bíblicas, podemos afirmar que Deus pode, sim, riscar o nosso nome do livro dos salvos. Ou então, os tradutores não estão corretos em suas traduções. Mais uma vez eu digo que não estou contestando os fatos, mas as interpretações feitas pelos homens (teólogos) a respeito deles.

04 - O BEIJO TRAIDOR DE JUDAS ISCARIOTES

A pergunta é: Judas beijou Jesus Cristo para que os soldados o identificassem? Procuramos uma resposta que nos deixasse frente à frente com a realidade. Em primeiro lugar, fomos ver o que nos diz o tradutor em Mateus 26:47-56. No versículo 48 o tradutor diz que Judas havia dito aos soldados que aquele a quem ele beijasse podia prender, que se tratava de Jesus Cristo. O versículo 49 completa o episódio com a seguinte afirmativa: “E logo, aproximando-se de Jesus, lhe disse: Salve, Mestre! E o beijou.”
Agora, vamos ver o que nos diz o tradutor de Lucas. No capítulo 22, a partir do versículo 47, ficamos diante do mesmo episódio da traição de Judas. Aqui, o tradutor diz que Judas se aproximava de Jesus para beijá-lo, mas Jesus se antecipa e diz: “Judas, com um beijo trais o Filho do homem?
No Evangelho de João, capítulo 18, o tradutor escreveu que à noite Judas Iscariotes, que já conhecia aquele lugar, levou os soldados e alguns guardas do Templo. Diz o tradutor que eles conduziam  lanternas e tochas. Os versículos 4 e 5 dizem: “Sabendo, pois,  Jesus todas as cousas que sobre ele haviam de vir, adiantou-se e perguntou-lhes: A quem buscais? Responderam-lhe: A Jesus, o Nazareno. Então Jesus lhes disse: Sou eu. Ora, Judas, o traidor, estava também com eles. Quando, pois, Jesus lhes disse: Sou eu, recuaram e caíram por terra”.
OBS.: Para o tradutor de Mateus e Marcos, Judas beijou Jesus, já para o tradutor de Lucas e João, Jesus não foi beijado por Judas. A narrativa feita em João mostra que Jesus se antecipou, não dando tempo a alguém se aproximar dele. É tanto que no final do versículo 5, todos que foram prender Jesus caíram por terra. Isso leva a uma certeza de que Judas não teve tempo para se aproximar do Filho de Deus.

05 - QUANTAS VEZES O GALO CANTOU DEPOIS DE PEDRO NEGAR A CRISTO?

Num diálogo entre Jesus e Simão Pedro, o Filho de Deus disse que o apóstolo o negaria três vezes antes do galo cantar. Jesus não fez referência quanto as vezes que o galo cantaria, mas se levarmos em consideração os escritos em Mateus, Marcos, Lucas e João, iremos nos deparar com uma pequena mas significante diferença.
Começando pelo livro de Mateus, capítulo 26, lemos no versículo 74 que ao ser abordado pela terceira vez, Pedro começou a praguejar e a jurar que não conhecia Jesus: “Não conheço esse homem! E imediatamente cantou o galo”, o versículo 75 continua com a seguinte versão: “Então, Pedro se lembrou da palavra que Jesus lhe dissera: Antes que o galo cante, tu me negarás três vezes”.
No livro de Marcos, capítulo 14, lemos nos versículos 71 e 72, Pedro nega pela terceira vez que conhecia Jesus. Vejamos a versão de Marcos: “Ele, porém, começou a praguejar e a jurar: Não conheço esse homem de quem falais! E logo cantou o galo pela SEGUNDA vez. Então Pedro se lembrou da palavra que Jesus lhe dissera. Antes que DUAS vezes cante o galo, tu me negarás três vezes...”.
Nos Evangelhos de Lucas e João, o tradutor não faz referências a números. Vejamos as versões dos dois Evangelhos:
Lucas 22:60 > “Mas Pedro insistia: Homem, não compreendo o que dizes. E logo, estando ele ainda a falar, cantou o galo”.
João 18:26 e 27 > “Um dos servos do sumo sacerdote, parente daquele a quem Pedro tinha decepado a orelha, perguntou: Não te vi eu no jardim com ele? De novo Pedro negou, e, no mesmo instante,  cantou o galo”.

06 - A CURA DE UM (OU DOIS?) ENDEMONIADOS

No livro de Mateus, capítulo 8, a partir do versículo 28, encontramos Jesus curando DOIS endemoniados GADARENOS. O mesmo fato é contado nos livros de Marcos (5:1-20) e Lucas (8:26-39). O fato é que em Mateus, Jesus cura DOIS endemoniados, enquanto em Marcos e Lucas, Jesus cura UM endemoniado Vejamos a narrativa de Mateus: “Tendo ele chegado à outra margem, à terra dos gadarenos, vieram-lhe ao encontro DOIS ENDEMONIADOS, saindo dentre os sepulcros, e a tal ponto furiosos, que ninguém podia passar por aquele caminho”. A narrativa prossegue com Jesus passando os demônios para os porcos, que se precipitaram no despenhadeiro abaixo, para dentro do mar, morrendo nas águas.
E o que diz Marcos em sua narrativa? Vale salientar que, se em Mateus, os endemoniados eram gadarenos, em Marcos, eles eram GERASENOS. Vejamos a narrativa de Marcos: “Entrementes, chegaram à outra margem do mar, à terra dos gerasenos. Ao desembarcar, logo veio dos sepulcros, ao seu encontro, UM homem possesso de espírito imundo, o qual vivia nos sepulcros, e nem mesmo com cadeias alguém podia prendê-lo”. A narrativa prossegue com Jesus mandando o espírito imundo sair daquele homem e entrar nos porcos, que se precipitaram despenhadeiro abaixo, para dentro do mar, onde se afogaram.
OBS.: A veracidade dos fatos é incontestável e não deve ser questionada em nenhuma circunstância. O que nos deixa meio desconfiado é quando as contradições em alguns pontos estratégicos. Há momentos em que as diferenças são quilométricas, o que não poderia acontecer, independente da maneira de como os fatos devem  ser contados.

07 - A CEIA DO SENHOR

A ceia, segundo Mateus 26:26-30 e segundo Marcos 14:22-26
Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deus aos seus discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. A seguir, tomou um cálice e tendo dado graças, o deus aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos; porque este é o meu sangue, o sangue da [nova] aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados. E digo-vos que, desta hora em diante, não beberei deste fruto da videira, até aquele dia em que o hei de beber, novo, convosco no Reino de meu Pai. E tendo cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras”.
A Ceia, segundo Lucas 22:19-23
E, tomando um pão, tendo dado graças, o partiu e lhes deu, dizendo: Isto é o meu corpo oferecido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, depois de cear,  tomou o cálice dizendo: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós. Todavia, a mão do traidor está comigo à mesa. Porque o Filho do homem, na verdade, vai segundo o que está determinado, mas ai daquele por intermédio de quem ele está sendo traído! Então começaram a indagar entre si quem seria, dentre eles,  o que estava para fazer isto”.
A Ceia, segundo 1 Coríntios 11:23-29
Em sua primeira carta aos crentes da Igreja de Corinto, o apóstolo Paulo, ao tomar conhecimento do que estava acontecendo ali, resolveu dar algumas instruções para que a celebração fosse feita de forma correta. Ele disse como Jesus procedeu junto aos seus discípulos e acrescentou:
Por isso, aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão, e beba do cálice; pois quem come e bebe sem discernir o corpo, como e bebe juízo para si”.

08 - PODEMOS OU NÃO ESCOLHER?

Ouve-se muitas vezes pregadores dizendo que, como seres humanos que somos, não temos o direito de escolher, pois cabe a Deus fazer a escolha. Isso me deixou um tanto curioso. E como não tem fonte de informações melhor do que a Bíblia, a própria palavra de Deus, lá fui eu a procura de explicações.
No Livro de Atos dos Apóstolos, capítulo 6, versículo3-5, encontramos a seguinte passagem: “Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço; e, quanto a nós, , nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra. O parecer agradou a toda  a comunidade; e elegeram Estevão, homem cheio de fé e do Espírito Santo; Filipe; Prócoro; Nicanor; Timão; Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia”.
Pelo menos nesse momento, Deus deixou aqueles homens livres para escolherem os auxiliares dos discípulos.
Em Lucas 10:38-42, encontramos Jesus sendo recebido na casa das irmãs Marta e Maria, irmãs de Lázaro. Maria ficou ouvindo atentamente os ensinamentos de Jesus, enquanto Marta se preocupava com os trabalhos domésticos. Em determinado momento, Marta reclama e pede que Jesus mande Maria ajudá-la. No versículo 41 Jesus responde: “Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas cousas. Entretanto,  pouco é necessário ou mesmo uma só cousa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada”.
Aqui também Deus permitiu que Maria fizesse sua escolha.
Lá no Livro de Josué, capítulo 24, versículo 19-25, encontramos um povo fazendo uma escolha.
Então, Josué disse ao povo: Não podereis servir ao Senhor, porquanto é Deus santo, Deus zeloso, que não perdoará a vossa transgressão nem os vossos pecados. Se deixardes o Senhor e servirdes a deuses estranhos, então, se voltará, e vos fará mal, e vos consumirá, depois de vos ter feito o bem. Então, disse o povo a Josué: Não; antes, serviremos ao Senhor. Josué disse ao povo: Sois testemunhas contra vós mesmos de que ESCOLHESTES  o Senhor para servir. E disseram: Nós o somos. Agora, pois, deitai fora os deuses estranhos que há no meio de vós e inclinai o coração ao Senhor, Deus de Israel. Disse o povo a Josué: Ao Senhor, nosso Deus,  serviremos e obedeceremos à sua voz”Antes, no versículo 15, Josué colocou diante do povo indeciso, uma oportunidade para voltar atrás em seu comportamento: “Porém, se vos parece mal servir ao Senhor, ESCOLHEI, hoje, a quem sirvais: se aos deuses a quem serviram vossos pais que estavam dalém do Eufrates ou aos deuses dos amorreus em cuja terra habitais. Eu e a minha casa serviremos ao Senhor”.
Vamos lá para o Livro de Êxodo, capítulo 18, versículos 24 e 25, que diz:
Moisés atendeu às palavras de seu sogro e fez tudo quanto este lhe dissera. ESCOLHEU Moisés homens capazes, de todo o Israel, e os constituiu por cabeças sobre o povo: chefes de mil, chefes de cem, chefes de cinquenta e chefes de dez”.
Em 2 Samuel, capítulo 24, versículos 11 e 12, encontramos um texto onde o rei Davi escolhe o castigo segundo ordem do Senhor: “Ao levantar-se Davi pela manhã, veio a palavra do Senhor ao profeta Gade, vidente de Davi, dizendo: Vai e dize a Davi: Assim diz o Senhor: Três cousas te ofereço; ESCOLHE uma delas, para que ta faça”. Vejamos as três coisas colocadas diante de Davi para sua escolha:
1 – Queres que sete anos de fome te venham à tua terra?
2 – Ou que, por três meses, fujas diante de teus inimigos, e eles te persigam?
3 – Ou que, por três dias, haja peste na tua terra?
E continua: Delibera, agora, e vê que resposta hei de dar ao que me enviou. Lembramos que quem enviou o profeta Gade foi o Próprio Deus.
O próprio Jesus escolheu seus doze apóstolos: (Mateus 10:1-4) Simão, por sobrenome Pedro; e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu; e João, seu irmão; Filipe; e Bartolomeu; Tomé; e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu;  e Tadeu; Simão, o Zelote;  e Judas Iscariotes, que foi quem o traiu. Veremos esta parte em João 15:16, quando Jesus diz para seus discípulos: “Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda”. Esta declaração de Jesus tem causado muita controvérsia entre algumas doutrinas.

08 - DEUS SE ARREPENDE?

A Bíblia diz em 1 Samuel, capítulo  15, versículo 29: “Também a Glória de Israel  não mente, nem se arrepende, porquanto não é homem, para que se arrependa”.
Agora voltemos lá para os versículos 10 e 11: “Então, veio a palavra do Senhor a Samuel, dizendo:  ARREPENDO-ME de haver constituído Saul rei, porquanto deixou de me seguir e não executou as minhas palavras. Então, Samuel se contristou e toda a noite clamou ao Senhor
A passagem mais forte do arrependimento de Deus está em Gênesis capítulo 6, versículo 5-7: “Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração; então, SE ARREPENDEU o Senhor de ter feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração. Disse o Senhor:  Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, o homem e o animal, os répteis e as aves dos céus; porque me ARREPENDO de os haver feito”.
No Livro de Josué, capítulo 1, versos 5 e 6, Deus promete a Josué nunca o desamparar; “Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei. Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais”.
No mesmo livro e fazendo parte do mesmo relato, vemos no capítulo 7, versículos 3 a 5, Deus permitindo que o exército de Ai derrotasse os soldados de Josué, como castigo por uma desobediência de Acã, tomando e escondendo para si algumas cousas condenadas por Deus: “E voltaram a Josué e lhe disseram: não suba todo o povo; subam uns dois ou três mil, a ferir Ai; não fatigueis ali todo o povo, porque são poucos os inimigos. Assim, subiram lá do povo uns três mil homens, os quais fugiram diante dos homens de Ai. Os homens de Ai feriram deles uns trinta e seis, e aos outros perseguiram desde a porta até as pedreiras, e os derrotaram na descida; e o coração do povo se derreteu e se tornou como água”.
Segundo nos conta o autor , Josué foi obediente a Deus em todos os momentos, cumprindo religiosamente as ordens do Senhor, mesmo assim,  a ira de Deus se revelou contra todos os filhos de Israel, por conta de um deslize de uma única pessoa. Como resultado, Acã foi apedrejado e morto por todo Israel, junto com todos os seus filhos e filhas e até os seus pertences.
A Bíblia nos deixa diante de um fato que pode provar a liberdade de Deus para agir da maneira que Ele achar conveniente. Ela mostra Deus enviando um anjo para destruir Jerusalém. Diz a palavra de Deus que quando o anjo já estava com as mãos estendida para obedecer a ordem do Pai, este mandou que o anjo não o fizesse mais. Isso significa dizer que Deus achou por bem livrar Jerusalém da destruição, ou seja, Deus se arrependeu (ou voltou atrás).

09 - A ONISCIÊNCIA DE DEUS

Os tradutores da palavra de Deus deixaram em dúvida a Onisciência do nosso Criador. Vejamos o que nos diz o Livro de Gênesis 18:20 e 21: “Disse mais o Senhor: Com efeito, o clamor de Sodoma e Gomorra tem-se multiplicado, e o seu pecado se tem agravado muito. Descerei e verei se, de fato, o que têm praticado corresponde a esse clamor que é vindo até mim; e, se assim não é, sabê-lo-ei”.
Ora, sendo Deus Onisciente, Onipresente e Onipotente, não haveria necessidade de vir para se certificar se era verdade ou não aquele clamor. Ele como Soberano, teria agido da mesma maneira, estando no seu Trono. Deus não precisa vir até mim para provar os meus delitos. Qual a intensão dos tradutores, nesse caso? Promover discussão quanto a Onisciência de Deus?

10 - A UNÇÃO DE JESUS CRISTO EM BETÂNIA

No Evangelho de Mateus, capítulo 26:6-13, o tradutor diz que Jesus Cristo estava em Betânia, na casa de Simão, o leproso, quando uma mulher derramou sobre sua cabeça um precioso bálsamo. Diz ainda que OS DISCÍPULOS ficaram indignados com a atitude daquela mulher. Jesus, então, repreende os discípulos.
No Evangelho de Marcos, capítulo 14:3-9, o tradutor conta a mesma história, mas não faz referência aos discípulos, preferindo dizer que “alguns entre si” ficaram indignados.
No Evangelho de João, capítulo 12:1-8, o tradutor conta: “Seis dias antes da páscoa, foi Jesus para Betânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos. Deram-lhe, pois, ali, uma ceia; Marta servia, sendo Lázaro um dos que estavam com ele à mesa. Então Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus...”. Dando sequência, o tradutor diz que JUDAS ISCARIOTES ficara revoltado.
Então ficam aqui algumas perguntas:
1 – Jesus foi ungido na casa de Simão, o leproso, ou na casa de Lázaro?
2 – Por acaso Lázaro era irmão ou tinha algum parentesco com Simão, o leproso?
3 – O bálsamo foi derramado sobre a cabeça de Jesus, ou sobre os seus pés?
4 – Quem ficou irritado com a ação da “mulher”? Os discípulos? Alguns entre si? Judas Iscariotes, o traidor?

11 – A CURA DE UM (DOIS) CEGO(S) EM JERICÓ

Um dos milagres mais citados pelos pregadores é o de dois cegos na cidade de Jericó. No Evangelho de Mateus 20:29-34, o tradutor diz que Jesus curou dois cegos que estavam assentados à beira do caminho. Diz ainda que Jesus parou, chamou os dois e perguntou o que eles queriam. Eles pediram que Jesus lhes abrisse os olhos, sendo atendidos imediatamente.
No Evangelho de Marcos 10:46-52, encontramos o mesmo fato. Diz o tradutor que Jesus ia passando, quando o cego mendigo Bartimeu, filho de Timeu, que estava assentado à beira do caminho, pedia que ele tivesse compaixão dele. Jesus parou e mandou que o chamassem.
No Evangelho de Lucas 18:35-43, o tradutor diz que Jesus curou UM cego que estava assentado à beira do caminho. Na narrativa feita em Lucas, Jesus para e manda que lhe tragam até ele.
Afinal, Jesus curou um ou dois cegos? Jesus chamou os dois, mandou  chamassem o cego, ou mandou que lhe trouxessem o cego?
·        É verdade que Jesus Cristo ressuscitou dentre os mortos? ESTA É UMA VERDADE INEGÁVEL E DEFENDIDA POR TODOS QUE CREEM EM DEUS.
·        A cura do criado do centurião aconteceu? SEM SOMBRA DE DÚVIDAS!
·        É verdade que Jesus Cristo ensinou o Pai Nosso aos seus discípulos? COM TODA A CERTEZA!
·        É verdade que Judas Iscariotes  traiu Jesus Cristo? SIM, É A PURA VERDADE!
·        É verdade que Jesus expulsou os demônios? PURÍSSIMA VERDADE!
·        Podemos contestar os fatos narrados na Bíblia Sagrada? DE FORMA ALGUMA!
·        É verdade que a Bíblia é a palavra de Deus e que a temos como nossa única regra de fé e prática? SIM, ESTA É A MAIS PURA VERDADE!
Agora, por que tantas diferenças nas interpretações, quando tudo está tão claro? Por que tantas diferenças nas traduções? Por que os tradutores fugiram dos princípios éticos da Palavra? Por que mudaram as narrativas feitas por homens inspirados por Deus? Quais as intensões dos tradutores? Quais as intensões dos intérpretes? Elas foram propositais, para confundir os leitores? O que mais preocupa é que todos dizem: “TEMOS A BÍBLIA COMO A NOSSA REGRA DE FÉ E PRÁTICA”. Essa afirmativa não pode ser vista como uma grande e confusa incoerência?
Ufa!!! Ainda bem que o Sermão do Monte só é narrado, em sua essência, no Evangelho de Mateus (capítulos 5, 6 e 7). Lucas, em seu Evangelho, faz apenas algumas referências (capítulo 6, versículos 20 a 38). Aí, graças a Deus, os tradutores não conseguiram distorcer os fatos e as denominações não conseguiram interpretar de formas diferentes.

Autor: Adalberto Claudino Pereira

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

OS DANOS MORAIS DA POLÍTICA



POR QUE NÃO VOTO NO PT?
Antes, quero lembrar uma frase do ex-presidente Luiz Inácio Lula Da Silva, em uma de suas campanhas à Presidência da República: “NO MEU PALANQUE CORRUPTO NÃO SOBE! NO MEU GOVERNO CORRUPTO NÃO ENTRA!(Quem tem boa memória deve lembrar).
Desde a sua fundação, em 10 de fevereiro de 1980, o Partido dos Trabalhadores pautou-se no discurso de que seria um partido honesto, transparente e que, chegando ao poder, mostraria ao Brasil e ao mundo como governar com dignidade. Insistiram tanto neste discurso, que quase me convenceram a segui-lo na certeza de que estaria no caminho de uma democracia séria e voltada para um povo que clamava pelo fim da corrupção. Já contava, na época,  com 39 anos bem vividos, idade suficiente para tomar minhas próprias decisões.
Via um PT firme em sua ideologia política de não se aproximar e nem se “misturar” com os demais partidos da época, principalmente quando se tratava do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), hoje Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Esse propósito do PT, levou o partido a uma sequência de derrotas nas urnas. Foram três derrotas consecutivas na caminhada em busca do Palácio do Planalto e várias décadas de pregações firmes e irreversíveis. Parecia ser um partido sério.
Lendo a respeito dos xiitas, uma seita islâmica (partidários de Ali), que atinge 2/3 dos 95% da população muçulmana, passei a fazer um paralelo entre aquela seita e o Partido dos Trabalhadores, pelo radicalismo que muito os identifica. Notei que a diferença era tão insignificante que ambos chegavam a ser iguais em propostas e comportamentos. Os xiitas seguiam religiosamente Ali Abu Talib o sucessor legítimo da autoridade islâmica; os petistas seguem religiosamente Luiz Inácio Lula da Silva como autoridade máxima e  mandatário  insubstituível, cujos ideais devem ser rigidamente respeitados. Quem não o fizer, é sumariamente “excomungado”.
A exigência do PT é que petista é obrigado a votar em petista, a não ser que o “poderoso chefão” decida, visando seus interesses pessoais, apoiar outro ou outros candidatos. Quem desobedecer a ordem do  ex-metalúrgico passa a ser considerado inimigo do sistema ditatorial imposto pelo “clã” da estrela cubana. Foi assim com alguns políticos que, por não concordarem 100% nas propostas petistas, chegaram a ser expulsos da agremiação de propriedade do Lula. A opressão é o cardápio principal das leis internas, que eles tentam transferir para o nosso cotidiano. É a lei do CUMPRA-SE, muito comum no sistema imperialista.
Depois de derrotado por várias vezes e vendo que suas pretensões de chegar ao poder eram cada vez mais impossíveis, Luiz Inácio da Silva resolveu partir para uma estratégia que o distanciaria do discurso de que sozinho venceria os seus maiores “inimigos”, sendo o PMDB e o PFL os maiores alvos de seus ataques verbais. Apegavam-se então àquela ideologia medíocre e covarde de que “se você não pode com seus inimigos, junte-se a eles”. Para os petistas, o importante agora era chegar ao Palácio do Planalto a todo custo.
A estratégia deu certo. Desavergonhadamente,  juntou-se ao PDMB, partido “massacrado” por eles ao longo de muitos anos, desde a existência do MDB. Para isso, usando sua já costumeira e conhecida arrogância, Lula obrigou seus aliados a se calarem diante da promessa de entregar todos os Ministérios aos oportunistas peemedebistas. O resultado foi extraordinário para os xiitas brasileiros. 1º de janeiro de 2003 e lá estava o ex-torneiro mecânico enfaixado e pousando garbosamente para a posteridade melancólica de um país sem princípios éticos e morais.
Eufóricos e ansiosos, milhões de brasileiros (não me incluam entre eles) esperavam ver um país diferente: com um governo honesto, transparente, distante da corrupção. Estava perto de ser realizado o sonho de ver uma educação primorosa, um sistema de saúde a nível de primeiro mundo e uma segurança a causar inveja. Afinal, este foi o quadro pintado ao longo das campanhas políticas do Partido dos Trabalhadores. Mas não passava de um falso retrato do que estaria por vir.
Consolidada a vitória do 35º Presidente da República, esperava-se uma palavra de gratidão ao PMDB, responsável maior pela ascensão do primeiro mandatário do PT na política nacional resultando na sua chegada à Presidência da República. Mas a arrogância petista deixou de lado o seu “trampolim” político e passou a enaltecer a si próprio, como se tivesse conquistado a vitória sem ajudas externas. Esqueciam-se de que um partido que elege apenas dois governadores, não tem respaldo político para eleger sozinho um Presidente da República.
O Palácio do Planalto virou reduto dos maiores corruptos da história do Brasil. Para quem havia prometido que “em seu palanque corruptos não subiam e que  em seu governo corruptos não entravam”, o exemplo foi o pior possível. Foram, ao todo, cento e duas (102) denúncias de corrupção, num prazo de oito anos. Superou as denúncias nos governos Sarney (6), Collor de Melo (18), Itamar Franco (31) e FHC (44), totalizando 99. Uma imperdoável decepção para quem pregava honestidade e um governo diferenciado.
Dizendo-se defensor da democracia e lançando o seu veneno mortífero contra o Regime Militar, que combateu a invasão do comunismo no Brasil, os militantes do Partido dos Trabalhadores sempre defenderam com veemência o regime cubano, ao mesmo tempo em que lançam seus aplausos  as ações criminosas do chavismo na Venezuela. Pergunta-se, então: - como pode um partido defender a democracia, quando, na realidade,  defende claramente  duas ditaduras que oprimem e perseguem?
Lembro-me que o PT não contribuiu em nada para o progresso da Nação, uma vez que tinha como obsessão vigiar os erros dos partidos adversários, fazendo grandes “tempestades em copo d’água”. Um deslize, por menor que fosse, transformava-se numa acusação implacável. Teimava em dizer que dera grande contribuição para o combate ao regime militar quando, na realidade, o maior combatente foi o MDB, que fazia severa oposição à Aliança Renovadora Nacional (ARENA), defensora do regime da época. O MDB “arregaçou” as mangas e lutou por uma democracia nacional. Foram os líderes peemedebistas do passado, homens de caráter, que elaboraram a Constituição de 88, da qual o PT foi extremamente contrário e a quem fez ferrenha oposição.
Foi o próprio Luiz Inácio Lula da Silva que, em 1990, fundou,  juntamente com o ditador cubano Fidel Castro, o Foro de São Paulo, movimento que congregava a esquerda da América Latina e do Caribe. Nota-se que a amizade com o pior usurpador da liberdade do povo cubano vem de longas datas.  É o mesmo Fidel Castro que pretendia implantar o comunismo no Brasil em 1964. É este o Lula  que tinha um patrimônio de 840 mil reais em 2006 e hoje, apenas oito anos depois, conta com bens incalculáveis. Um mágico de causar inveja ao próprio David Copperfield.  
Diante do que foi exposto, fica mais do que evidente que o PT é arrogante, prepotente, ganancioso, mentiroso, incoerente, ingrato e, consequentemente, indigno da nossa confiança. Acredito que, pelo menos para as pessoas de bom caráter, eu tenha justificado com clareza os motivos pelos quais eu não voto no Partido dos Trabalhadores. Trata-se de uma decisão de quem conhece o PT desde a sua fundação e que acompanhou o comportamento de políticos e adeptos do partido. É uma decisão de quem não tem “rabo preso” e que tem moral para se posicionar da maneira mais coerente possível.
Sei que muitos virão com aquela justificativa própria dos culpados sem argumentos inteligentes, de que no governo do PT a corrupção foi investigada e os corruptos presos. Será que é assim mesmo? Por que, então, os que punem os corruptos petistas são exonerados de seus cargos, enquanto outros são obrigados a optar pela aposentadoria? Por que  mudam tantos ministros do Supremo?
Faz-se necessário lembrar, e isso tem sido mostrado pela imprensa nacional,  que quando as acusações são contra os adversários petistas, estes saem às ruas clamando por CPIs contra aqueles. Nesse caso os denunciados são castigados  impiedosamente e até aprisionados na Superintendência da Polícia Federal.  Quando as denúncias envolvem adeptos do PT, sempre é perseguição política, mesmo diante de provas concretas. Aí, aparecem defesas por todos os lados, sempre patrocinados pelo Palácio do Planalto.
 Que tal citarmos o  exemplo do que aconteceu com o Senador José Sarney, então Presidente do Senado que, com onze denúncias nas “costas”, foi blindado por forças palacianas? Mais revoltante ainda foi o PT escolher os integrantes da Comissão de Ética para julgar o caso, tendo como presidente um integrante do partido governista e como relator um amigo íntimo do acusado. Na verdade, as denúncias contra o PT se acumulam, mas são atiradas nos esgotos do Congresso Nacional, sendo engolidas pela podridão do protecionismo político.

LEMBRETE: ESCREVI ESTE TEXTO, NÃO PARA AFRONTAR OS AMIGOS POR QUEM TENHO GRANDE RESPEITO E A QUEM QUERO MUITO BEM,  MAS PARA TENTAR ACORDAR OS QUE DORMEM E CONSCIENTIZAR OS INCONSCIENTES.

sábado, 26 de julho de 2014

POLITICAGEM E POLITIQUEIROS: QUEM SÃO ELES?

(Clique em cima da figura)

                       O MUNDO INGRATO DA POLÍTICA
Gostaria de iniciar esta minha postagem com essas palavras proferidas por JESUS CRISTO: “Vocês ouviram o que foi dito: ‘Amem os seus amigos e odeie os seus inimigos’. Mas eu lhes digo: amem os seus inimigos e orem  pelos que perseguem vocês, para que vocês se tornem filhos do Pai de vocês que está no céu. Porque ele faz com que o sol brilhe sobre os bons e sobre os maus e dá chuvas tanto para os que fazem o bem como para os que fazem o mal”. Talvez você tenha ficado perplexo diante desta minha atitude! Mas vamos em frente, até que eu consiga alcançar o meu objetivo.
Minha primeira experiência política foi aos 16 anos, em Campina Grande, na campanha do Sr. Severino Bezerra Cabral, para prefeito daquela cidade. De lá até os meus 53 anos convivi com alguns partidos (UDN, PSD, ARENA, MDB, PMDB, PFL, PDT, PTB) e diversos políticos, dos mais ao menos descarados, maldosos e meia dúzia de honestos. Ao longo dos anos, fui convidado a candidatar-me a vereador. Mesmo sabendo das possibilidades de sair vitorioso, temi ser contaminado pelo vírus da corrupção. Fui mais inteligente!
Durante muitos anos assessorei prefeitos e vereadores. Por muitas vezes redigi Proposições, Ofícios, Requerimentos e Projetos de Lei; tive a honra de coordenar programas radiofônicos e  comitês eleitorais. Preparei inúmeros discursos para candidatos em campanhas políticas. Foram oito anos de assessoria na Câmara Municipal de Patos; sete anos de assessoria da Prefeitura Municipal da mesma cidade; quatro anos na assessoria da Câmara Municipal de Araripina e, ao todo, trinta e sete anos de vitórias e derrotas (1957-1994) na política. Esse tempo foi suficiente para conhecer as mais diversas personalidades dos políticos e as mais estranhas artimanhas dos partidos em busca de sucessos a todo custo. Certo candidato me disse que para ganhar uma eleição, fazia acordo até com o Diabo e que depois de eleito daria um chute no traseiro dele e o mandaria para o inferno.
Tive meus momentos de alegrias e de decepções. Entregava-me de corpo e alma em defesa dos mais diversos propósitos e dos mais estranhos ideais. Vi discursões verbais entre vereadores se transformarem em agressões físicas (alguns que estiveram envolvidos vão ler e lembrar deste fato). Usei de minha lealdade e de minha fidelidade político-partidárias e as recíprocas não foram verdadeiras. Fui vítima de ingratidão, mas mantive-me firme, sem levar em consideração a falta de reconhecimento dos ingratos. Conheço colegas que se elegeram e desistiram de uma possível reeleição, decepcionados com a realidade política.
Certa vez, em conversa com um determinado vereador muito amigo meu, ouvi-o dizer que era necessário abraçar os inimigos políticos na esperança de transformá-los em amigos. Foi aí que eu lhe disse: “Realmente, é bom que você aja assim, mas é mais importante abraçar os inimigos sem ser indiferente àqueles que lhe são fiéis”. Hoje, esse mesmo cidadão, já esquecido por aqueles a quem abraçou como sendo seus “amigos”,  foi lançado no mundo dos esquecidos. Até tem recebido críticas injustas. Condeno ataques agressivos, por ser consciente de que ninguém é 100% correto, nem 100% incorreto. Principalmente quando colocamos em evidência o mundo podre e nojento da política.
Na política, todos merecem ser respeitados, mas nem todos merecem  confiança. Conheço pessoas que foram beneficiadas, por muitos anos, mas na primeira oportunidade “viraram a casaca” e caíram nos braços dos primeiros que lhes “estalaram o dedo”. Esses são os chamados OPORTUNISTAS, pessoas maliciosas, traiçoeiras, incapazes de conviverem em sociedade. São manchas negras, podres e indesejáveis numa sociedade que precisa de pessoas idôneas. São elementos de sorrisos hipócritas, prontos para o “bote” fatal contra os ingênuos.
Não tenho a memória curta, apesar da minha idade já avançada (72 anos). Ainda sou capaz de lembrar pessoas que bajularam ao máximo, determinados políticos e, hoje, cobertas pelos mantos da ganância e da covardia, lançam seus mais mortíferos “venenos” contra aqueles que as protegeram e muito fizeram em seu benefício. Omito-me a citar nomes. Enoja-me ver que ainda existem pessoas assim. Entristece-me saber que elas sempre existirão e que ainda existem  políticos que depositam confiança em certos elementos.  Estes pobres e enganados políticos serão suas próximas vítimas. Basta esperar para ver. E como eu vou esperar!!!
Já estive ao lado de muitos políticos e convivi com vários partidos. Mudei de opiniões, mas nunca mudei de comportamento, ao ponto de denigrir a imagem de “A” ou de “B”, mesmo sendo vítima da covardia de uns e da indiferença de outros. Sempre mantive o bom caráter, uma herança paterna. Fiz questão de manter a amizade com todos, mesmo estando de lados opostos. É por isso que sempre tenho livre acesso aonde vou e onde chego. Esforço-me para que a minha idoneidade moral seja sempre respeitada para o orgulho dos meus filhos e de todos os que me cercam.  Muitos ainda precisam  aprender que o respeito ao semelhante faz parte de uma política bem mais evoluída e agradável: a política da moralidade.
E foi acompanhando as mensagens postadas no Face book, todas elas com o intuito de defender ou acusar este ou aquele candidato, que resolvi escrever e publicar o que penso a respeito. De início, relutei, mas ao ver pessoas ingratas “massacrando” determinados cidadãos, não resisti. A educação que recebi faz com que eu desconheça aquele que usou da ingratidão para comigo, sem fazer uso de termos agressivos. A indiferença é a maneira mais prática e mais saudável para tratarmos quem não merece a nossa confiança. Mostrar a verdade de forma elegante não faz mal a ninguém. Maltratar incita o outro lado a uma reação indesejada.
Há pessoas que não conseguimos esquecer, por mais que queiramos, inclusive nos meios políticos, onde encontrar homens de caráter não é uma tarefa fácil. Sinto muitas saudades de pessoas com a idoneidade moral dos saudosos  Edmilson Fernandes Motta e Rivaldo Medeiros da Nóbrega, de quem fui Assessor de Imprensa durante os seus governos.  Conheci muitos outros iguais a eles, que prefiro não citá-los para evitar o desconforto da omissão. Que estes e outros de igual caráter não se incluam e nem se assemelhem aos indecentes, cujos exemplos são citados neste texto.

(Adalberto Pereira)

sábado, 12 de julho de 2014

LE RETOUR DES LES BLEUS

video
Dimanche 6 juillet 2014 - 14:49 - Avec l'AFP

Autographes, remerciements, acclamations... Les Bleus de Didier Deschamps sont rentrés dimanche en France, accueillis à l'aéroport du Bourget, près de Paris, par de nombreux supporteurs enthousiastes.
Les joueurs, qui avaient quitté samedi leur camp de base de Ribeirao Preto pour rentrer à Paris, via Rio de Janeiro, ont atterri peu après 12h.

Après un court moment à l'intérieur de l'aéroport, emmenés par le milieu Mathieu Valbuena, accompagnés du sélectionneur Didier Deschamps, les Tricolores sont tous sortis rencontrer les supporteurs, pour signer des autographes. Les 23 joueurs, en survêtement, ont passé quelque minutes auprès de leur fans, qui avaient afflué tout au long de la matinée, avant de monter chacun dans un taxi.
Rassemblés devant le terminal du Bourget, les supporteurs, maquillés et munis de drapeaux nationaux, avaient bravé le mauvais temps pour saluer leurs idoles en criant : "Allez les Bleus", "Merci les Bleus", fredonnant aussi la Marseillaise. "Ils sont remontés dans notre estime par leur comportement. Ils ont redoré l'image de l'équipe et de la France", se félicitait Leslie Filiatre, 19 ans, enveloppée du drapeau français.
Source d'information: Fédération Française de Football

quarta-feira, 2 de julho de 2014

A EVOLUÇÃO FRANCESA CALA OS CRÍTICOS ESPORTIVOS BRASILEIROS

A SELEÇÃO FRANCESA DE FUTEBOL, DESACREDITADA PELA IMPRENSA BRASILEIRA, EVOLUIU COM UM FUTEBOL MODERNO E CHEGOU ÀS QUARTAS DE FINAL DA COPA DO MUNDO 2014! SURPREENDEU ATÉ MESMO OS MAIS PESSIMISTAS CRÍTICOS ESPORTIVOS, MANTEVE-SE INVICTA  E MANDOU A NIGÉRIA MAIS CEDO PARA CASA!
video

terça-feira, 24 de junho de 2014

CRIME ECOLÓGICO


A VISÃO DISTORCIDA DA HUMANIDADE

Será que os crimes contra a ecologia são  responsáveis pelas catástrofes mundiais?

Já estamos cansados de ouvirmos dizer que todas as tragédias que assolam este Universo imenso, levando milhões de pessoas à morte e outros tantos ao desabrigo, nada mais é do que a revolta da natureza, pela ação criminosa do homem contra ela. Aí vem uma visão humana distorcida com exemplos dos mais diversos, como, entre muitos, o desmatamento desordenado, que muitos chamam de “crime ecológico”.
Eu posso até ser criticado, mas não concordo com essa versão. Na minha limitada visão humana essa desculpa não condiz com a realidade. Dizer que a Natureza se rebela contra os seus agressores, nada mais é do que querer tirar de Deus o poder de agir contra aqueles que desobedecem aos seus ensinamentos.  
E por que eu penso assim? Em que eu me fundamento para expor esta minha convicção? Bem, eu começaria mostrando com toda a clareza que o homem tem provocado a ira de Deus, não por devastar a floresta Amazônica. Deus pouco se importa com isso. Quando Deus destruiu o mundo com o dilúvio, o homem nem pensava em desmatar a Amazônia. A causa da destruição de Sodoma e Gomorra não foi resultado de um crime provocado pelo homem contra a natureza.
No caso do dilúvio, temos a seguinte explicação: Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração; então se arrependeu o Senhor de ter feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração. Disse o Senhor: Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, o homem e o animal, os repteis e as aves dos céus; porque me arrependo de os haver feito.” (Gênesis 6:5, 6 e 7). Logo, a causa do dilúvio foi a desobediência do homem. Nada de desmatamento. A própria desobediência do homem faz com que Deus, lance sua ira contra a terra e destrua o que Ele mesmo construiu, inclusive as árvores. E para isso, ele não precisa da ação humana. Se você tivesse um “tempinho” para Deus, talvez você entendesse essas coisas.
No caso da destruição de Sodoma e Gomorra, temos a seguinte justificativa: Disse mais o Senhor: Com efeito, o clamor de Sodoma e Gomorra tem-se multiplicado, e o seu pecado se tem agravado muito. Descerei e verei se, de fato, o que têm praticado corresponde a esse clamor que é vindo até mim; e, se assim não é, sabê-lo-ei.” (Gênesis 18:20-21). Deus enviou dois anjos, que confirmaram os pecados cometidos por aquele povo, rebelando-se contra Deus. Não foi nada referente a crimes ecológicos.
Quando Deus expulsou Adão e Eva do paraíso não foi porque eles haviam cometido algum crime contra a ecologia. A causa da expulsão foi a desobediência. E o que é desobediência? É fazer o que Adão fez. E o Senhor Deus lhe deu essa ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” (Gênesis 2:16-17)
Será que o que acontece hoje, tem algo a ver com a desobediência a Deus? Vejamos o que nos diz o Senhor em Levítico 20:9-13: Se um homem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, será morto; amaldiçoou a seu pai ou a sua mãe; o seu sangue cairá sobre ele. Se um homem adulterar com a mulher do seu próximo, será morto o adúltero e a adúltera. O homem que se deitar com a mulher de seu pai terá descoberto a nudez de seu pai; ambos serão mortos;  o seu sangue cairá sobre eles. Se um homem se deitar com a nora, ambos serão mortos; fizeram confusão; o seu sangue cairá sobre eles. Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse  mulher, ambos praticaram coisa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles.
A grande verdade é que os filhos continuam maltratando os pais; o homem continua adulterando em alta escala; filhos continuam tomando mulher dos pais como se isso fosse a coisa mais normal do mundo; quantos homens não continuam trocando a esposa pela sogra e achando que isso é algo sensacional; políticos, juízes e promotores liberam de forma descarada a união de pessoas do mesmo sexo. E a culpa das catástrofes que ceifam milhões de vidas é lançada sobre aqueles que, segundo as leis humanas, provocam crime contra a Natureza.
A cada dia que passa, o homem prova que desconhece a verdade. A cada dia, o homem tenta afastar a humanidade de uma realidade que se esconde por trás das invencionices daqueles que tentam descaracterizar a perfeição Divina. Deus ainda diz: O homem ou mulher que sejam necromantes ou sejam feiticeiros serão mortos; serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles.” (Levítico 20:27). Em desobediência ao que Deus condena, o homem continua procurando soluções para os seus problemas recorrendo aos adivinhos, aos feiticeiros e às cartomantes. E a culpa de tudo ruim que acontece recai sobre o que  acostumamos chamar de “crime ecológico”. Daí surgirem todos os tipos de campanhas para a preservação da Natureza.
Se o homem voltasse mais o seu olhar para Deus, dando-lhe mais credibilidade! Se o homem afastasse um pouco do seu “ego” das coisas materiais e se achegasse um pouquinho às coisas espirituais! Se a humanidade fosse menos idólatra e olhasse com mais atenção para o que Deus ORDENOU em Êxodo 20:1-17, com certeza o mundo seria bem melhor, menos catastrófico, menos violento e o coração maligno de muitos seria substituído por um coração amoroso. Infelizmente, é muito difícil convencer o homem de que Deus condena a fabricação de imagem de escultura e a sua adoração (Êxodo 20:4 e 5). E como o homem continua fabricando e adorando imagens, a ira de Deus se faz presente nas enchentes, nos desabamentos e nas doenças mortíferas (câncer, Aids, etc.).
Achando pouco tudo isso, nossos representantes maiores (deputados e senadores), além de juízes e promotores, facilitam cada vez a aproximação do homem das coisas diabólicas, ignorando os ensinamentos Divinos. Aí está a liberação da união de pessoas do mesmo sexo (leiam Levítico 19:13). A desmoralização da família, através de leis anti-bíblicas. Proibir nas escolas as comemorações alusivas ao dia dos pais e ao dia das mães e excluir dos documentos os termos “PAI” e “MÃE”, não passa de uma atitude satânica, algo desprezível para uma sociedade que busca o respeito à família. Aprovar a realização de cirurgias para mudança de sexo é ir contra o que Deus determinou ao criar HOMEM e MULHER (Adão e Eva). Isso também é diabólico. E ainda botam a culpa no “Crime Ecológico”, por todo o tipo de desgraça que acontece neste mundo pervertido, dominado pelos anticristos.
As pessoas perderam o respeito a Deus e viraram as costas aos seus ensinamentos. A teimosia humana tem levado as pessoas ao alto índice de suicídios, ao mesmo tempo em que a criminalidade aumenta de forma assustadora. Não há mais respeito uns para com os outros. A impunidade, resultado de leis mentirosas, frágeis e discriminatórias, leva o ser humano a comportamentos desagradáveis aos olhos de Deus. É lamentável o número de adeptos dos horóscopos, enquanto o Poder de Deus é colocado em “xeque-mate”. Muitas igrejas se transformaram em verdadeiras empresas, onde o poder aquisitivo supera em muito o Poder Divino.
O materialismo tem distanciado cada vez mais o homem da  presença de Deus e já não há mais tempo para um diálogo com o Criador, através das já banalizadas orações. Por mais que Deus tente se aproximar da humanidade, esta insiste em se afastar de sua presença. Não é anormal ouvirmos pessoas dizerem, batendo no peito: “Ninguém manda em mim. Eu faço o que quero e não devo satisfação a ninguém!”. É difícil e até impossível convencer as pessoas de que Deus está no controle de tudo e que somos 100% dependentes dele. Quem sabe, um dia, quando tudo estiver completamente perdido, o homem queira chegar perto de Deus, implorando o seu perdão!
Aí será tarde demais! Deus enviou seu Filho Jesus Cristo para trazer a mensagem da salvação; para transformar os corações perversos em corações perdoadores, amáveis e sadios. Agora, Ele enviará o mesmo Jesus Cristo com  uma missão final: Ele virá, não para perdoar, mas para julgar e mandar uns para o céu, outros para o inferno. E não adianta chorar nem espernear! Não vão adiantar os gritos e os clamores, pois o tempo do arrependimento já não mais existirá! Infelizmente as pessoas se aproveitam da misericórdia de Deus e esquecem que Sua paciência tem limite.
Está escrito lá em Apocalipse 3:5 > “Aqueles que conseguirem a vitória serão vestidos de branco, e eu não tirarei os nomes dessas pessoas do Livro da Vida. Eu declararei abertamente, na presença do meu Pai e dos seus anjos, que elas pertencem a mim.” E você, já tem o seu nome escrito no Livro da Vida? Ou está esperando que Jesus venha escrevê-lo quando vier pela segunda vez? Pense nisso e tire da cabeça essa ideia maluca de que tudo acontece porque o homem pratica um “CRIME ECOLÓGICO”.